Mulheres em Conselhos de Administração e novas práticas de emprego

Mulheres em Conselhos de Administração e novas práticas de emprego

mulheres-nos-conselhos-de-administração-'melhoram-as-práticas-de-emprego

11 de junho de 2024

Compartilhe:

A introdução de cotas para mulheres em conselhos de administração tem representado uma mudança significativa nas práticas de emprego dentro das corporações globais.

Inspirada pela legislação francesa conhecida como lei Copé-Zimmermann, instituída em 2011, a política obriga as empresas listadas em bolsa a terem pelo menos 40% de seus membros de conselho como mulheres até 2017. Tal movimento legislativo não só aumentou numericamente a presença feminina em altos cargos de liderança, mas também impactou profundamente a cultura corporativa e as práticas de emprego.

A lei trouxe à tona a importância de valorizar a experiência e as qualificações das candidatas, estimulando as empresas a considerarem mais seriamente a educação em instituições de prestígio e a experiência em conselhos anteriores.

A presença de mulheres em conselhos de administração tem sido associada a uma abordagem mais inclusiva e equitativa nas práticas empresariais, influenciando não apenas a governança, mas também a ética e a responsabilidade social das empresas.

Os efeitos das cotas são evidentes na transformação das práticas de recrutamento e promoção, incentivando um ambiente de trabalho mais diversificado e inclusivo. Essas mudanças são importantes responsáveis por desafiar as normas estabelecidas e fomentar um ambiente onde talentos femininos possam prosperar e contribuir efetivamente para o sucesso organizacional.

Por outro lado, a implementação de cotas também enfrentou críticas. Argumenta-se que pode levar à promoção de profissionais menos experientes apenas para atender aos requisitos legais, o que poderia comprometer a qualidade das decisões do conselho. No entanto, a longo prazo, as cotas podem servir como uma ferramenta importante para corrigir desequilíbrios históricos e promover a igualdade de gênero nos níveis mais altos de tomada de decisão nas empresas.

Portanto, apesar das críticas, a tendência global aponta para uma aceitação crescente da necessidade de estruturas mais inclusivas que não apenas melhoram o ambiente de trabalho, mas também potencializam a governança e a performance corporativa.

FONTE: Board Agenda

Samantha Feriani

Samantha Feriani

Secretária de Governança Corporativa

Competências Relacionadas

Publicações Relacionadas

  • Estratégia dos Conselhos de Administração: fatores de influência

    O cenário empresarial está cada vez mais voltado para a sustentabilidade, e a liderança desempenha um papel crucial em promover e implementar efetivamente as práticas de ESG.

  • Inteligência Artificial nos Conselhos de Administração

    O cenário empresarial está cada vez mais voltado para a sustentabilidade, e a liderança desempenha um papel crucial em promover e implementar efetivamente as práticas de ESG.

  • Reshoring: principais etapas para a repatriação da produção

    O cenário empresarial está cada vez mais voltado para a sustentabilidade, e a liderança desempenha um papel crucial em promover e implementar efetivamente as práticas de ESG.

  • Governança Corporativa Integrada no Grupo Unika Embalagens

    O Grupo Unika Embalagens, contratou a C&S Projetos e Mercado para realizar um projeto de implantação e sustentação da Governança Corporativa Integrada.

Conecte-se com nossa prática de transformação.