Sustentabilidade

Sustentabilidade

Construindo valor sustentável para acionistas e sociedade.

Incorporar o tema sustentabilidade nas operações pode aumentar a eficiência, estimular a inovação e fomentar o crescimento, fortalecendo a marca e gerando valor sustentável para acionistas e a sociedade, enquanto reduz o impacto ambiental.

Nossa atuação

Diagnóstico em ESG

O Diagnóstico em ESG avalia a maturidade das práticas ambientais, sociais e de governança. Através de uma análise detalhada, identificamos pontos fortes e áreas de melhoria, fornecendo um roadmap para fortalecer a estratégia ESG nas organizações.

Benchmarking em ESG

O Benchmarking em ESG compara as práticas de sustentabilidade da empresa com o mercado. Utilizamos bases, relatórios e metodologias globais para identificar gaps e oportunidades, auxiliando na adoção de melhores práticas e na melhoria contínua.

Gestão da Sustentabilidade

A Gestão da Sustentabilidade envolve a definição, implementação e monitoramento de iniciativas, objetivos e metas, garantindo que a empresa esteja alinhada com os compromissos assumidos, expectativas e visão de longo prazo da alta administração.

ESG Strategy Fit

Através de metodologia e técnicas especializadas ajudamos empresas a mapear, estruturar e priorizar iniciativas de ESG que estejam alinhadas com sua estratégia de longo prazo, criando objetivos e metas de forma integrada e colaborativa.

Projetos para Obtenção de Crédito Verde

Através de metodologia e técnicas especializadas ajudamos empresas a mapear, estruturar e priorizar iniciativas de ESG que estejam alinhadas com sua estratégia de longo prazo, criando objetivos e metas de forma integrada e colaborativa.

Estratégias para Descarbonização

As Estratégias para Descarbonização consistem em planos detalhados para reduzir as emissões de carbono. Utilizamos abordagens inovadoras e práticas comprovadas para ajudar organizações a alinharem-se aos objetivos globais de redução de carbono.

Inventário de Emissões

O Inventário de Emissões é um levantamento detalhado das emissões de gases de efeito estufa. Este inventário é fundamental para a gestão ambiental e para a definição de estratégias eficazes de mitigação, as quais farão parte das iniciativas para Gestão da Sustentabilidade.

Matriz de Materialidade

A Matriz de Materialidade identifica e prioriza os temas mais relevantes para os stakeholders das empresas. Esta abordagem orienta a estratégia de sustentabilidade, garantindo que as expectativas e preocupações dos stakeholders sejam atendidas.

Gerando Valor Sustentável para Acionistas e Sociedade

A integração de práticas ambientais, sociais e de governança é essencial para transformar a economia global, abrir novos mercados e garantir a competitividade das empresas.

Abordagens holísticas que incluem governança corporativa robusta ajudam a enfrentar desafios como a redução de emissões, manutenção de sistemas de energia seguros e fortalecimento da competitividade. Identificar as questões-chave e avaliar os riscos e o modelo de negócios são passos essenciais.

Os riscos ambientais e sociais incluem fatores tecnológicos, geopolíticos, climáticos, de saúde e demográficos. A emergência climática, por exemplo, direciona decisões de negócios através de riscos físicos e de transição. Avaliar e monitorar esses riscos constantemente é essencial, apesar de sua complexidade.

A governança é vital para a agenda de sustentabilidade, sendo que a qualidade dos órgãos de governança, o engajamento das partes interessadas e a identificação dos temas materiais são fundamentais. Integrar critérios de sustentabilidade ao processo decisório vai além do gerenciamento de riscos, abrangendo questões éticas e o propósito das organizações.

Organizações orientadas pelo propósito estão mais conectadas com a realidade da sociedade e descobrem novas oportunidades de desenvolvimento. Empresas bem-sucedidas precisarão criar valor com contribuição social justa, mitigando impactos negativos e gerando impactos positivos.

A gestão interna de riscos neste contexto é fundamental. Mapear e avaliar os riscos ambientais e sociais e definir ações para mitigá-los são etapas importantes.

A administração deve implementar medidas para tornar a empresa resiliente. Investidores institucionais esperam retornos sustentáveis e alocam capital de forma criteriosa, escolhendo ativos que assegurem impactos socioambientais positivos.

Transformações exigem atuação coletiva e consideração do ciclo de vida de produtos e serviços. As organizações devem influenciar sua cadeia de valor e as comunidades para gerar mudanças em escala e acelerar a transição para uma nova economia. Provedores de capital podem redirecionar fluxos financeiros para modelos de negócios sustentáveis, oferecendo incentivos como títulos verdes, beneficiando-se de redução no custo de capital, ganhos de competitividade e acesso a novas fontes de recursos.

Gerando Valor Sustentável para Acionistas e Sociedade

A integração de práticas ambientais, sociais e de governança é essencial para transformar a economia global, abrir novos mercados e garantir a competitividade das empresas.

Abordagens holísticas que incluem governança corporativa robusta ajudam a enfrentar desafios como a redução de emissões, manutenção de sistemas de energia seguros e fortalecimento da competitividade. Identificar as questões-chave e avaliar os riscos e o modelo de negócios são passos essenciais.

Os riscos ambientais e sociais incluem fatores tecnológicos, geopolíticos, climáticos, de saúde e demográficos. A emergência climática, por exemplo, direciona decisões de negócios através de riscos físicos e de transição. Avaliar e monitorar esses riscos constantemente é essencial, apesar de sua complexidade.

A governança é vital para a agenda de sustentabilidade, sendo que a qualidade dos órgãos de governança, o engajamento das partes interessadas e a identificação dos temas materiais são fundamentais. Integrar critérios de sustentabilidade ao processo decisório vai além do gerenciamento de riscos, abrangendo questões éticas e o propósito das organizações.

Organizações orientadas pelo propósito estão mais conectadas com a realidade da sociedade e descobrem novas oportunidades de desenvolvimento. Empresas bem-sucedidas precisarão criar valor com contribuição social justa, mitigando impactos negativos e gerando impactos positivos.

A gestão interna de riscos neste contexto é fundamental. Mapear e avaliar os riscos ambientais e sociais e definir ações para mitigá-los são etapas importantes.

A administração deve implementar medidas para tornar a empresa resiliente. Investidores institucionais esperam retornos sustentáveis e alocam capital de forma criteriosa, escolhendo ativos que assegurem impactos socioambientais positivos.

Transformações exigem atuação coletiva e consideração do ciclo de vida de produtos e serviços. As organizações devem influenciar sua cadeia de valor e as comunidades para gerar mudanças em escala e acelerar a transição para uma nova economia. Provedores de capital podem redirecionar fluxos financeiros para modelos de negócios sustentáveis, oferecendo incentivos como títulos verdes, beneficiando-se de redução no custo de capital, ganhos de competitividade e acesso a novas fontes de recursos.

Artigos Relacionados

  • Agenda ESG nas organizações e a liderança transformadora

    O cenário empresarial está cada vez mais voltado para a sustentabilidade, e a liderança desempenha um papel crucial em promover e implementar efetivamente as práticas de ESG.

  • Sustentabilidade & ESG: a Governança como alicerce

    Heloisa Belotti Bedicks, conselheira de administração independente que durante quase duas décadas foi diretora geral do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC).

Time de Especialistas

Mauricio-Siqueira-CCI-CTA

Mauricio Siqueira, CCA CTA

Conselheiro de Administração

Economista, Pós graduado em Engenharia Econômica e Economia do Agronegócio, Membro e Conselheiro de Administração Certificado pelo IBGC. Como Executivo, foi interventor pelo BNDESpar, presidiu Empresas e Conselhos.

Bruno Siqueira, CCA

Diretor Executivo

Economista, MBA em Finanças Corporativas, Especialista em Fusões & Aquisições, Private Equity & Venture Capital e Mestre em Administração pela Fundação Dom Cabral. Membro e Conselheiro de Administração Certificado pelo IBGC.

Luciano Menegasso

Diretor de Estratégia

Engenheiro e MBA em Gerenciamento de Projetos. Possui ampla experiência no desenvolvimento de estratégias e coordenação de projetos de inovação em empresas nacionais e multinacionais.

Raphael de Paula

Gerente de Estratégia

Administrador e especialista em estratégia e gestão de projetos. Possui experiência em multinacionais na estruturação e gestão da estratégia de médio e longo prazo, assim como na coordenação de projetos.

Carolina Siqueira

Jurídico

Advogada, especialista em Direito Societário e em Secretarias de Conselhos de Administração pelo IBGC. Responsável pelas Secretarias dos Conselhos e assuntos legais relacionados à Governança Corporativa.

Márcio Lima

Associate Partner de Sustentabilidade

Bacharel em Química pela UFSCar, Mestre em Enga. Civil – área de Saneamento pela EESC/USP e com MBA em Administração de Empresas e Visão de Negócios pela FGV, membro oficial e verificado junto ao Instituto Brasileiro de ESG.

Conecte-se com nossa prática de transformação.