A importância dos controles gerenciais no processo de M&A

Vender uma empresa não é uma decisão a ser tomada repentinamente, exige de seus acionistas muita reflexão, pois a decisão envolve fatores financeiros, emocionais e deve ser acompanhada de muita cautela e estratégia.

Quando um empresário almeja expor sua empresa ao mercado é importante que o mesmo tenha conhecimento de cada fase do processo de M&A, do tempo dedicado ao trabalho e das estratégias que devem ser realizadas para sentirmos a receptividade do mercado à compra.

Seja na preparação da empresa, definição de objetivos dos acionistas, prospecção e abordagem, ou qualquer outro momento da transação, cada detalhe é essencial para o êxito.

Dentre todas as etapas, como ponto principal para abertura do projeto, destaca-se: a preparação e avaliação da empresa. É importante entender que ao apresentar uma oportunidade de compra para um investidor, é necessário que o mesmo identifique sinergias e oportunidades de novos negócios, agregando valor à empresa e definindo abertura para uma negociação.

Neste sentido, é imprescindível que os empresários que desejam abrir sua empresa para novos acionistas, mantenham um controle e auditoria rigorosos de sua empresa para garantir uma análise eficiente da performance histórica e para o desenvolvimento das projeções futuras.

Apesar da necessidade desses controles gerenciais carregarem certa obviedade, muitas empresas ainda não são geridas através destas importantes ferramentas, o que pode comprometer o embasamento técnico e dificultar a visão do investidor para que avalie as projeções futuras e as oportunidades sinérgicas ao mercado de atuação.