Lean Alinhado à Estratégia na Retomada Pós-pandemia

O conceito de Lean Manufacturing (manufatura enxuta) tem sido amplamente utilizado para aumentar a eficiência operacional e desempenho do sistema produtivo, entretanto temos observado que melhores resultados têm sido alcançados durante a pandemia por empresas que conseguiram alinhar os objetivos do Sistema Lean com a Estratégia da Empresa.

Podemos decompor os objetivos estratégicos da empresa em estratégia financeira, de suprimentos, de inovação, produtiva, logística (inbound e outbound), comercial, de relacionamento com clientes, dentre outras. Assim, melhores resultados são obtidos através da implementação de um Sistema Lean coerente e alinhado com a Estratégia da Organização.

O termo Lean surgiu na década de 90 com objetivo de compartilhar a filosofia Toyota de trabalhar, e é baseada em 2 grandes princípios: eliminação de desperdícios e criação de valor. Nada mais atual para o momento em que vivemos, onde literalmente precisamos fazer mais com menos.

Segundo dados de tráfego disponibilizadas pela Tom-Tom (TOM2, AMS), podemos notar que a primeira cidade acometida pela pandemia – Wuhan, China – levou cerca de 18 semanas para retomar a níveis similares de congestionamento do pré-pandemia. Com base nisso, parece razoável considerar que, no mínimo, este mesmo período pudesse a ser aplicado para a cidade de São Paulo, resultando numa retomada nos mesmos patamares de congestionamento somente ao final de Julho, indicando um início de retorno da atividade econômica nos patamares pré-pandemia (desde que não surjam outras ondas de contaminação e novas restrições impostas pela quarenta).

Neste contexto começamos a ter uma perspectiva de Retomada, porém mais do que nunca devemos consolidar o que aprendemos neste período, ou seja, fazer diferente, fazer melhor, fazer mais com menos. Técnicas e ferramentas de gestão como o Lean são fundamentais para isso, porém devem estar alinhadas ao eixo estratégico da empresa. Além disso, a capacidade de coletar, tratar, validar e analisar dados de forma rápida e sistêmica tem sido essencial na tomada de decisão do dia-a-dia quanto à aquisição de insumos, ritmo de produção, estratégia comercial etc.

Temos acompanhado diversas empresas que aproveitaram o período para “destravar” gargalos internos, alguns conhecidos e muitos outros descobertos neste momento de aflição (principalmente de caixa). A integração das equipes e o “engrenamento” das áreas tem sido um fator decisivo neste período de sobrevivência que, aliados à eliminação de desperdícios e criação e valor, estão sendo críticos para sobrevivência e serão fatores de diferenciação no processo de retomada.

Fale com o Autor deste Artigo

e deixe sua pergunta.