A inovação da Netflix na Governança Corporativa

Que a Netflix revolucionou a forma de consumir entretenimento ninguém pode negar. Mas você sabia que a empresa também criou um novo modelo de governança corporativa?

Vamos por partes. A Netflix vale hoje US $133 bilhões e desenvolveu uma estrutura única de governança corporativa. O objetivo dessa novidade foi aproximar o conselho de administração da gestão e tornar as informações operacionais mais acessíveis.

Com uma espécie de livro aberto, os gerentes compartilham praticamente tudo com o conselho. Tudo o que é usado e visto por eles é disponibilizado de forma transparente.

Dessa forma, representantes e diretores monitoram o desempenho e a conduta da administração, avaliam decisões estratégicas e garantem que o plano de sucessão do CEO se mantenha em vigor. É claro que há uma lacuna de informações, mas a Netflix trabalhou muito nos últimos cinco anos para diminuí-la.

Pesquisadores da Universidade de Stanford afirmam que a maior parte dos diretores das empresas costuma se reunir de quatro a oito vezes por ano em reuniões de conselho e comitês. As informações que eles recebem geralmente são de forma densa, em apresentações cheias de tabelas e gráficos difíceis de interpretar. Já na Netflix, os membros do conselho realizam reuniões mensais e trimestrais como observadores, onde elaboram memorandos de cerca de 30 páginas com análises e links para dados relevantes identificados por sistemas internos da empresa.

Esse memorando elaborado pelos líderes contribui para uma conversa inteligente e informada, com o máximo de dados possível. Para que decisões sejam tomadas, é preciso que os membros do conselho entendam o mercado e o cenário atual da empresa.

Consequentemente, os diretores da Netflix acabam trabalhando mais. Eles passam o dobro do tempo se preparando para as reuniões do conselho, se comparado ao tempo disposto por diretores de outras empresas. Porém, já que estão bem informados, as reuniões acabam sendo mais curtas na maioria das vezes.

Trazendo agora um panorama mais detalhado da Netflix como empresa, as receitas da companhia quase triplicaram: os iniciais US $ 4,4 bilhões saltaram para US $ 11,69 bilhões no final de 2013. A capitalização de mercado também disparou para US $ 133 bilhões.

De acordo com os líderes da Netflix, o relacionamento aberto com o conselho permite que as decisões sejam tomadas com muito mais agilidade, assim como os erros podem ser revertidos mais rápido. Decisões complexas, como investir em conteúdo, levariam muito mais tempo para serem tomadas em um cenário sem essa abertura.

Quase todo processo tem seus prós e contras. Nesse caso, a desvantagem seria a possibilidade de informações serem vazadas. Contudo, os responsáveis pela empresa afirmam que isso nunca ocorreu na Netflix. Para que o procedimento seja implantado em outras companhias, é preciso disponibilizar um sistema corporativo que permita o compartilhamento de dados. Também é necessário que o CEO esteja aberto a pontos de vista alternativos.

A reforma de governança no molde da Netflix é mais provável em startups e empresas menores, já que é primordial que as pessoas estejam dispostas a compartilhar informações para contribuir com a discussão sobre governança em um nível ainda mais elevado.

Fonte: Stanford Business

Equipe Técnica

Profissionais Multidisciplininares

Fale com o Autor deste Artigo

e deixe sua pergunta.