Proteção Cambial como Instrumento de Planejamento Financeiro

Temos acompanhado uma forte oscilação cambial ao decorrer do ano, em que vimos o dólar sair de R$ 2,69 no início de janeiro de 2015 para R$ 3,73, em 27 de novembro do mesmo ano, o que representa uma alta de 38,9%.

Para os exportadores, uma excelente notícia, pois receberão mais R$ por U$S em suas vendas para o exterior. Já para aqueles que importam, o cenário é exatamente oposto, já que produzir ou comercializar ficou mais caro e nem sempre é possível repassar os custos na mesma velocidade e grandeza em que oscilam, o que significa redução de margens, e não raro, prejuízo.

Uma maneira essencial para lidar com essas oscilações de moeda é realizar o hedge cambial, que estabelece a proteção contra flutuação do câmbio e pode ser operacionalizado por qualquer banco ou corretora de valores, através de swap cambial, ndf (non deliverable forward) e outros instrumentos de proteção.

Os principais desafios para o empresário inserido neste contexto são mitigar os riscos dessas possíveis oscilações e se concentrar em seu core business, não se tornando um especulador ou vivendo na gangorra das emoções cambiais. Com um bom planejamento financeiro e instrumentos adequados, uma empresa pode se tornar altamente competitiva nesse ambiente instável. Isso não significa que não haverá desafios e erros, mas com certeza haverá maior chance de êxito.

Dessa forma, uma empresa que se utiliza de insumos importados para fabricar seus produtos que, em 2014 elaborou seu planejamento para 2015 e realizou as travas de proteção cambial para seus volumes de importações, hoje apresenta vantagem competitiva considerável em relação aos seus competidores que não adotaram a mesma postura, pois seus custos estão relativamente estabilizados. Na possibilidade de repasse dos preços, as margens da empresa que realizou o hedge subiram substancialmente, ou, na impossibilidade, seu orçamento de resultado foi cumprido.

Em suma, deixo-lhes a reflexão de um princípio verdadeiro que revela a real situação descrita: "aonde falta o conhecimento, impera a confusão".