O "Click" da Mudança na Reestruturação de Empresas

“Você precisa obedecer às forças que deseja controlar¹”. Se quiser ser bem-sucedido num processo de reestruturação de empresa você precisará obedecer às leis da mudança, ou seja, se quiser mudar, terá que mudar duas vezes.

Créditos de Imagem: ShutterStock

Todo processo de mudança possui dois componentes distintos: a mudança real e a mudança percebida. Ambas caminham juntas, não existindo uma sem a outra, e por isso, mudar significa mudar duas vezes.

Mudar a realidade requer ação, é algo tangível, mensurável, um processo contínuo que tem começo, meio e fim. Em nosso contexto, mudar a realidade é “resgatar” a empresa, tornar a operação lucrativa e sustentável, agindo principalmente no aspecto econômico-financeiro e nos processos chave do negócio.

Entretanto, mudar a percepção requer o ato de pensar, compreender a situação e visualizar um novo cenário, sendo um desafio para o indivíduo, algo pessoal e intangível. Trata-se de um processo subido, onde num “click” o indivíduo percebe a mudança. A má notícia é que mudar a percepção é mais difícil que mudar a realidade, pois envolve a mudança do modelo mental de cada pessoa.

E é justamente essa uma das principais causas do insucesso nos processos de reestruturação de empresas: a dificuldade dos acionistas ou diretoria executiva em mudar seu modelo mental, o que prejudica perceber as necessidades, diretrizes e o propósito da mudança.

Entendemos que o momento da empresa dificulta ainda mais a percepção da mudança pela alta administração e, principalmente, pelos acionistas.

O stress causado por uma sucessão de resultados deficitários, escassez de capital, falta de matéria-prima, escalonamento da dívida, pressão dos credores e ambiente corporativo instável tornam difícil o ato de pensar, mudar o modelo mental, pois o foco torna-se o operacional, a sobrevivência do negócio.

Porém como mudar é mudar duas vezes, a mudança da realidade não terá o efeito desejado se não houver a percepção da mudança pelos tomadores de decisão da empresa.

Nossa experiência mostra que em muitos casos esta divergência resulta em forças opostas que se anulam, impedindo o progresso da reestruturação e consequentemente o insucesso no “resgate” da empresa.

Sua empresa está pronta para mudar? Você está pronto para mudar? Para saber mais sobre reestruturação de empresas acesse http://csprojetos.com/reestruturacao-de-empresas.

Para aqueles que se interessarem pelo tema recomendamos a leitura do livro utilizado como referencial teórico: “The Forgotten Half of Change: Achieving Greater Creativity Through Changes in Perception” por Luc De Brabandere.

¹ Francis Bacon. (Créditos da imagem: Shutterstock).