Fruticultura Irrigada do Vale do São Francisco: um Projeto Histórico

Este projeto faz parte da história do Suco de Laranja Pronto para Beber no Brasil, hoje presente à mesa de grande parte dos brasileiros.

Na década de 90, quando foi lançado o suco concentrado, havia uma série de problemas a serem resolvidos. As dificuldades começavam no processo fabril: o suco deveria ser pasteurizado (um paradigma hoje vencido), para que houvesse uma vida útil maior; importante não só pela dimensão geográfica do país, mas também pelo modus operandi que opera o varejo no brasileiro – “produto vencido é problema do fornecedor”.

Entre os quesitos a serem resolvidos, estava o teor de açúcar: para o paladar brasileiro, o ácido não é bem tolerado e a produção de frutas cítricas, mais doces, só se dá em algumas épocas do ano. De encontro a esse problema, a legislação não permitia a adição de sucos concentrados acima de um percentual relativamente pequeno, que corrigia o teor de açúcar do produto. Ainda que permitisse, com a adição de suco concentrado o produto final ficaria muito caro, inviável para o que se pretendia.

A solução foi buscar a produção de laranjas em regiões, cujas frutas fossem colhidas em épocas diferentes das de São Paulo, e com graus de acidez menores. Diante deste cenário, foi identificada a região de Neópolis, no estado de Sergipe, no Vale do Rio São Francisco, com condições muito favoráveis às necessidades da fruta que precisávamos.

Foi a partir de então que iniciamos uma “operação de guerra” com a elaboração de projetos técnicos envolvendo equipes multidisciplinares, negociação com o Governo de João Alves (Sergipe), ciclos de palestras para os produtores rurais e comunidade local, obtenção de financiamento aos investimentos necessários através do BNB e o gerenciamento por 2 anos até a sua implantação.

A partir deste projeto, Sergipe se tornou um importante estado para a fruticultura nacional, reverberando, a partir do conhecimento obtido, no desenvolvimento de outras frutas como o mamão-papaia, abacaxi e maracujá. Muito mais que viabilizar o lançamento de um produto, este projeto desenvolveu uma região, dando oportunidade à milhares de famílias e uma nova vocação ao estado.