A Prática do Fluxo de Caixa

Antes de falar sobre a importância do fluxo de caixa, quero apontar as dificuldades em fazê-lo. Temos apurado problemas semelhantes, na maioria das empresas, não dependendo do tamanho ou segmento no qual atuam.

Para que se tenha um fluxo de caixa confiável, é necessário que se cumpram alguns requisitos, que sem os quais, teremos apenas um amontoado de números sem nexo, sendo que sua utilização como ferramenta de gestão, pode induzir a graves erros.

Como primeiríssimo tópico, que tem trazido grandes problemas, estão as pessoas que compõe o time financeiro da empresa. Normalmente, não possuem preparo, não sabem como elaborar o relatório, e muito menos conhecem a dinâmica dos processos que são utilizados em sua composição. A equipe deve conhecer as rotinas do departamento, como contas a pagar, receber, caixa e bancos, além de um forte treinamento no sistema de informação que a empresa utiliza.

Os bons sistemas de informação possuem funções que tratam o fluxo de caixa, que não é utilizado na maioria das vezes. É usual ouvir, que o sistema não funciona, e que o provedor do software não dá a devida assistência. O problema normalmente não está na ferramenta, mas sim nos operadores dela.

A equipe do financeiro deve ser capaz, com rotinas bem definidas, e treinamentos constantes. Infelizmente, é prática encontrarmos um número de pessoas acima do necessário fazendo tarefas repetidas e não conseguindo gerar as informações necessárias. Caso estes fatores estejam acontecendo em sua organização, é hora de buscar ajuda, e rever os procedimentos, pessoas e processos.

Sobre a importância do fluxo de caixa, tenho a dizer, que é tão fundamental sua análise, que é impossível administrar e obter bons resultados sem ele.

Através de seu uso diário, pode-se definir os momentos futuros, e aqui vale dizer que fluxo de caixa cuida do futuro dos números e não do passado, momentos estes que podem ser bons, com sobras de caixa, ou ruins, com déficit financeiro. É o relatório perfeito, para implantar políticas de compras e pagamentos, de aplicações financeiras, de investimentos, e de renegociações.

Com os números alinhados e confiáveis, pode-se reunir a equipe de compras, vendas e produção, direcionando a operação, de modo a evitar surpresas desagradáveis.

Juntamente com o orçamento anual, os fechamentos financeiros, gerenciais e contábeis mensais, e os custos, os administradores têm o conjunto de ferramentas necessário, fornecidos pela controladoria, para uma tomada de decisões no sentido correto, traçando e corrigindo a rota dos negócios de forma precisa e eficiente.