A Governança de Dados na Empresa

A análise de dados sejam eles de produção, comerciais, mercadológicos, financeiros, estratégicos, de riscos e compliance entre outros, deve se tornar rotina nas empresas modernas.

O big data não é apenas uma tendência, mas uma realidade que deve virar rotina no modelo de negócio. Armazenar dados com governança, traz segurança nas tomadas de decisão, no direcionamento do dia a dia e estratégico, na mitigação de riscos. É certamente uma excelente ferramenta, bastante usada na empresa moderna, não importando seu segmento ou tamanho.

É possível haver adequações, de acordo com as necessidades específicas de cada negócio. Seu operador é conhecido como CDO (Chief Data Officer), e o grande patrocinador deve ser o CEO (Chief Executive Officer), ou o executivo com o maior cargo, o qual tem a missão de incentivar todas áreas da empresa, bem como seus funcionários, a interagirem com a Governança de Dados.

A partir do momento no qual todos veem o valor nas soluções baseadas em informações concretas e bem alinhadas com a realidade, seu uso se torna cada vez maior, e a eficiência vai aumentando gradativamente.

Partindo-se do princípio que de alguma forma as empresas possuem um grande número de dados, porém na maioria das vezes desalinhados, e muitos deles sem nexo, pode-se iniciar pela organização dos mesmos, para em um segundo momento, buscar um incremento e armazenagem, através de sistema de informação apropriado.

Com o envolvimento de todos os membros da equipe, e o direcionamento correto das informações feito pelo CDO, o grau assertivo nas tomadas de decisão, aumenta significativamente, tendo como consequência a melhora do resultado final do negócio.